segunda-feira, 13 de maio de 2013

ALMA CORTANTE


   

Na lâmina cortante de minha voz
Não há tempo para o brilho do olhar
Nem afagos de outrora
Desmancho os melhores dias
A procura de algo...
Mas algo em mim
Não pode ser sentimentos.
Não evito-os, mas só um gosto amargo
Fere-me a alma de angústia
Seria isso amar?
Nunca! Quero ser de ferro!
Mas não consigo, acho que amo!
Mas o que seria o amor?
Essa essência de perfume?
Essa ausência de algo?

Como um ferreiro que tece o ferro:
Com o fogo amoleço a alma,
Com o martelo bato de frente
Com o meu destino...
E com a água me deixo...
Construir um paraíso...

-Angel-
                                                

3 comentários:

  1. Gostei MUITO!!!!! Fiquei feliz em saber que foi um escrito meu que te inspirou! Muito obrigado pela atenção de sempre.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Roberto Noir! As inspirações vêem de alguns trabalhos seus realmente, e é muito bom saber que você tem também esse dom de fomentar nas pessoas a vontade continuar textos ou poemas que escreve. Obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de ter uma renda extra com seu blog trabalhando 1h por dia no seu computador?
    Não é vendas e nem precisa indicar pessoas.
    Acesse: http://ganhosweb.com
    Contao: suporte@ganhosweb.com
    Skype: rrspierone

    ResponderExcluir

Obrigada pelo o comentário, que sempre vem acompanhado de carinho!

Bjos...