terça-feira, 27 de setembro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

HAICAI - EM TRÊS ESTAÇÕES...



Escrever um HAICAI, pode ser fácil, mas ao mesmo tempo, torna-se difícil. Segundo Goga (1988), o primeiro autor brasileiro de Haicai foi Afrânio Peixoto, em 1919, através de seu 
livro Trovas Populares Brasileiras, onde prefaciou suas impressões a respeito do poema japonês:




“Os japoneses possuem uma forma elementar de arte, mais simples ainda que a nossa trova popular: é o haikai, palavra que nós ocidentais não sabemos traduzir senão com ênfase, é o epigrama lírico. São tercetos breves, versos de cinco, sete e cinco pés, ao todo dezessete sílabas. Nesses moldes vazam, entretanto, emoções, imagens, comparações, sugestões, suspiros, desejos, sonhos... de encanto intraduzível”
FLORESTA
Um abrigo verde vibrante
De amores e vidas
Respirável e pulsante.
-Angel-
ALMÍSCAR
Impregnação perfeita...
Da seiva exalo
Perfume e sossego.
-Angel-
028
GAMELEIRA
Árvore, sua essência
Palavras e pensamentos
Respiro o que és, exuberância!
-Angel-

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

DE MAR, AMAR E SONHAR...




Duvidei de minha sorte
Briguei com um sono de morte
Embriaguei-me de vida, 
De amores, de sono, de sonhos...

Sonhei com o mar..
De ondas agitadas..
De ondas calmas...
De amores a duvidar!

E minha fantasia
Sei muito bem,
Nada queria...
Só sonhar, sonhar e sonhar...

Beirando minha vida
Um mar raivoso,
Um sonho perdido
Um amor medroso.

-Angel-

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

DOR DE PITANGA


Meu viver é sonhar...
Que um novo dia...
Seja meu...
"DIA DE ÁRVORE".

Que possa respirar,
Saber que outros dias virão
Na mais linda visão
Onde meu olhar
Seja estampado
Na mais bela flor inspirada,
No carinho dos passantes,
Nos pássaros cantantes,
Nos ventos amorosos
Ao balançar minhas folhas...
No mais doce amor que Deus
Proporcionou não apenas a "mim"
Mais a todas as árvores da Terra!

Que meu clamor...
Não seja cinzas
Ou lágrimas de seiva perdida
Numa serra elétrica qualquer.
Que minha seiva seja proveito
Para todo tipo de espécie que dissemine
Toda a beleza das rosas!

-Angel-

Obs: Uma simples homenagem ao dia de hoje:  DIA DA ÁRVORE!


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

CONVITE



Convido-te para acalmar meus olhos
Ao simples e sincero silêncio...
Que fala, fala, fala e fala
Todas as línguas inaudíveis
Que descrição nenhuma...
Seja por mim desejada.

Assim, convido-te a me olhares,
Falando-me esse silêncio
Que só nos conseguimos decifrar!

-Angel-

domingo, 18 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

OLHOS NEGROS

Percebi que o amor
Tem gosto de ar
Inebria a mente
Toma conta do corpo
Toca músicas particulares
Molha os olhares
De sabor de saudade
Febre alta
Mar revolto
Pulsantes ondas
Que quebram em mim.
Revivendo teus olhos negros
Nesta noite de infinitos pensamentos
Que me encontro
Que se encontra o céu e o mar
No limite, no limiar
Dessa paixão quente...
O calor ferve lembranças
Desejos? O que são desejos?
A louca e bandida vontade
Apenas de querer te rever
Desaparecer nos teus negros olhos
Num simples piscar...

-Angel-

terça-feira, 13 de setembro de 2011

VERSOS SOLTOS


Ah! Esses versos soltos!
Lembram profundamente
Os teus olhos
Livres e distantes
Adormecidos em silêncio
E eu adormeço e desperto
Sonhos e desejos
Versos viajantes
Certamente soltos
Palavras de encanto
Junto a ti, 
Nessa doce ilusão!

-Angel-

domingo, 11 de setembro de 2011

VOE...


Viaje...Quero voar céu
Atravessar o Universo
Ser noite, ser dia
União do sol e lua
Misteriosamente voar
Voltar
apenas fada
Pousar em teus sonhos
Inebriar-me nos teus vinhos
Ser hoje, amanhã e sempre...
Um sonho de Ícaro
Borboletas, pássaros, pirilampos,
Um pó suave magia
Viajar ao sabor dos ventos
Só descobrir ser real...
Nos braços de tua fantasia!

-Angel-

sábado, 10 de setembro de 2011

CANÇÃO DE AMOR


Seria tão bom ouvir canções
Aquelas que valsam o infinito
Em que o amor não seja a forma
De um ardor qualquer,
Uma saudade, uma lembrança,
Uma infinita dor inexplicável.

Seria tão bom ouvir canções
Aquelas que valsam o complemento
Em que o amor seja a forma
De um carinho qualquer,
Uma vontade de ficar perto,
Um infinito desejo amar por amar.

Seria tão bom ouvir canções
Aquelas que valsam o infinito...
Em que o amor seja a forma
De um encontro qualquer,
Aquele que reconhecemos: É esse...
É esse amor que quero para mim!

-Angel-

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

O QUE ME ALEGRA?


A vida é mesmo assim...
Para uns boa e para outros ruim.
Hoje acordei e pensei:
O que me faria sorrir?
Ah! Um pássaro a cantar
Quanta e quanta felicidade!
Ele brincava com um raio de sol...
Bicava a água...
Como se fosse um manjar.
E repeti: -Mas o que me alegra?
Coisas simples, coisas de Deus,
Coisas que eu possa ver,
sentir, ouvir, abraçar,
Ou mesmo saborear.
Ah! Deus! Os meus sentidos são assim...
Um pouco de Deus, de simples, de mim!

-Angel-


terça-feira, 6 de setembro de 2011

SABOR DE MEL

Quando gosto de mim...
Vejo-me tua
E exalo perfume
Retoco os lábios
Passo um blush
Pinto os olhos
Cor do azul céu.

Quando gosto de mim...
Vejo-me tua
Ao sabor da noite
Aos olhos da lua
Sorrindo estrelas
Esperando teu beijo mel.

Quando gosto de mim...
Saboreio gotas de orvalho
Na madrugada
Entre lençóis
Descartando sonhos
Caindo nos abraços teus!

-Angel-

domingo, 4 de setembro de 2011

EU SOBREVIVENTE


Ser integrante do ambiente
É tornar-se árvore,paisagem,
Fruta, passarinho, voar...
Ser nuvem e ser divisível
Um átomo qualquer no espaço...
Que possa submergir ou emergir
Para fazer parte daquilo
Que chamamos SOBREVIVÊNCIA!

-Angel- 

Obs: Iniciamos o penúltimo módulo do curso NOVAS METODOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS, com a prof.ª Fátima e o assunto Ambiente e Sustentabilidade, inspirou-me este poemeto num trabalho em grupo. Espero que gostem!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

AMOR CIGANO



Meu amor é fogo!
Vem me consumindo
Acorrentando o coração.
Feito uma lâmina
Afiada, lapidando
Tua face assim
Noites e dias!
Insano, meu amor
Dança, se lança
Fogo de meu desejo
Feito um feitiço...
E danço ao facho
Que ilumina a chama
Ardente dessa paixão!

-Angel-