domingo, 30 de dezembro de 2012

AMIZADE II




Doce carinho, sabor de delicioso manjar
Emanado pela benção de anjos.
Gracejos, alegrias, virtudes de quem sabe amar!

-Angel-

Com votos de um ano de 2013 muito feliz! Paz, harmonia e a proteção de DEUS



sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

domingo, 23 de dezembro de 2012

LINDO NATAL

Nas manjedouras frias das paredes de seu quarto...
Lembre-se: Seja menos egoísta.
Procure o calor de um abraço
O aconchego da família,
Caminhe por ruas de luz,
Seja mais um presente...
Onde houver: Amizade,
Solidariedade,
Sinceridade,
Felicidade!
Sorria! 
Pois nas pardes frias de seu quarto...
Pense: Alguém pensa em você de modo bem especial!

-Angel-

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

SONHOS EXTINTOS

Meus sonhos inéditos
São sonhos extintos
De bordas benditas
De histórias perfeitas!

Meus sonhos sem créditos
São sonhos em dores e medos
De ventos e fugas
De retas e curvas!

Ah! Meus sonhos são segredos
Em preto e branco...
De fibras e fios.

Ah! Esses sonhos inéditos...
Sem cores e sem vida
Que vibram nos cantos!

-Angel-


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

SOU EU...




Eu sou o som da voz, do silêncio, do grito,
Sou aquela que ama, desama e ama,
Explica assim para o vento, o ritmo...


-Angel-

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

MÃOS...

As mãos entrelaçadas
Mãos postas
Vitrine a vitrine
Verniz, virtual, verne...

As mãos entrelaçadas
São mãos passivas
Verso a verso
Voz, vibrátil, verbo...

Mãos e mães
Imãs, irmãs
Elos afãs!

Mãos e avelãs
Aveludadas manhãs
Sós, elos, afãs!

-Angel-

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

UM LONGE E PERTO



                                                                   
Uma noite de estrelas...
E outras noites
Em buscas delas...
Bem perto ou bem longe...
Perto apenas da perfeição!

-Angel-

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

LÍBIDA


É. Parece bem banal!
Conhecer-te e...
Emudecer meu pensamento
Sufocar meus sentimentos
Tocar as estrelas 
Acariciar teu corpo
Só para ver o infinito.

É. Parece banal!
Desvendar meus segredos
Passar por cima
De meus medos
Desnudar meu céu
Amar-te assim...
Agora e só, de modo silencioso.

É. Parece banal mesmo!
Não aceitar meu próprio juízo
Desmistificar meus preconceitos
Sofrer e matar o paraíso
De tê-lo aqui abraçado,
Bem perto...
Só para justificar: É proibido!

-Angel-

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

INDIFERENÇA




Entre o medo da solidão,
O silêncio e a indiferença
Melhor seria nada,
Nada tivesse existido
Só assim...
O recomeçar seria
Menos doloroso
Feito de perdão,
Renuncia...
E quiçá de esperança!

-Angel-

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

VER ESTRELAS...

Mania de ver estrelas
Desbotadas em teu olhar
De mania de me ver...
Dentro não de teu olhar
Mas aquele que palpita
Estremecendo tudo o que há.

Mania de beber estrelas
Despontando em teus lábios
Da mania de me beijar
Dentro não de teu lábio
Mas aquele que o teu céu
De bocas são únicas.

Mania de ver estrelas
Caindo noites e madrugadas
Unidas em universos
Tão íntimos e infinitos
Dentro não de espaços...
Mas daquelas em que o nosso léu
Se encontra corpos flutuantes.

-Angel-

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

ELDOURADO


Rompi meus tormentos
Não tropeço mais na juventude
Meus passos são suaves
Já não percebo o que aprendi
E se percebo, eu sorvo
No próprio favo, um mel meio amargo
Doce desejo de labirintos
Que já comigo adormecem.
Assim, me perco e encontro
Dentro de inimagináveis formas
Aquelas que a poesia virou o ar
Fazendo parte desta história.

-Angel-

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

DELÍRIOS


Divinas! Divinas! Divinas!
A combinação perfeita de que orvalhadas
Não se perdem na madrugada...
E sem romper-se, sonham.
Eternas! Caem como pétalas
Delirando tantos sentimentos!
Sorrindo, nas canções felizes...
Ou chorando, nas tristezas.
A saudade só torna-se real
Quando de cada rosa
A cor rosa torna-se
Resto do que passou.
Delírios! Delírios! Delírios!

-Angel-

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

SILHUETAS


Entre nós poderia haver algo de espelhos
Onde coisas lindas são encontradas
Tocadas, dançadas, cantadas,
Sussurradas, esperadas, verbalizadas
E desesperadamente...
As imagens se confundem, se entrelaçam
Feito corpos esculpidos
Na magia apaixonada de amar.

E nesse frenesi doce e veneno...
Vem passando infinitamente
sonhos nossos,olhares nossos, 
Algo que só entre beijos é pouco.
Um filme sem começo e sem fim
Tece histórias sinônimas...
Simples silhuetas encantadas
Na magia apaixonada de amar.

-Angel-

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ROMANCES




São sonetos, os romances
Onde em meio aos enlaces
Olhares, corpos, suores,
São silhuetas entre mil amores.

Pura poesia, os romances....
Se somente se, amores
São abraços banais, perfumes...
Exalados entre beijos, sabores.

E no meio da noite
Adormecido perdido...
Teu semblante.

Meu porto, teu abraço...
Meu sonho, teu olhar distante...
Meu sossego, teu abrigo.

-Angel-

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

CHOVE MADRUGADA


Lentamente a chuva
Vontade de águas...
Vontade de tantas lágrimas!
Descem soltas, desabrigadas,
Despidas de vestes,
Luz águas, nuas águas...
De noites e madrugadas
Livres e desencantadas
Apenas vontades de lágrimas
Rios a correr águas
Chuva, nuvem, estreladas.

-Angel-

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

TORMENTOS

Esta pouca conversa, num sentido solidão...
Desata em rumores tão meus e próprios
Às vezes lágrimas, lembranças, sorrisos,
E nem sei o por quê desses rumos...
Pois sim! Mesmo na contramão de sentidos...
Os ventos sopram a imagem perfeita 
E quase imperfeita do imaginário.

Sonhos, você, nós e a imensidão do silêncio
E o sinistro despreparo da solidão...
Seria tormento o amor?

-Angel-




terça-feira, 2 de outubro de 2012

INSISTÊNCIA...


 Pirei em pensar você
Virei e revirei entre lençóis
A lembrança que ficou
E em todo lugar noturno...
Era você...
E tem sido você...
E vai continuar sendo você.

-Angel-

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ENIGMÁTICA

 A palavra é sinônimo de comunicação.
Mas a palavra pode ser iludida,
Desiludida, ferida, magoada,
Sincera, falsa, serpente,
Observadora, calada, omitida...

O maior enigma da palavra...
É poesia...É vento...
É arrependimento...
É o dito pelo não dito,
É o maldito defeito de falar...

A palavra escrita é enigmática
Complexa e perplexa.
Filosófica, livre e estupidamente
Fria, restrita ou direta
Diz. Giz. Fica e sempre surpreende...

-Angel-


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ANJO...


Que lua é sonho
Do medo tristonho?
A angústia cansada...
Desaforada do dia.

Que lua é sono
Do sonho medonho?
Há alguém na estrada...
A segurar a tua vida.

Seria as portas das almas?
Ou um porto qualquer?
Nem sabe minha palma...

Seria o anjo minha lua?
Ou os olhos sequer?
Ou nem sei se sou nada...

-Angel-

sábado, 22 de setembro de 2012

A VIDA E A PRIMAVERA



A vida poderia ser bem mais simples como flores nos campos, 
Os pássaros a cantarolar,
A chuva matinal, 
O ar que madruga,
O vento que desliza
por entre as nuvens.

A vida poderia ser bem mais simples como a primavera...
As pessoas desabrochando em sorrisos,
A gentileza fosse um bem-me-quer,
As mãos se enraizassem
Mais e mais amizades...
Assim, o amor seria perfeito!

-Angel-

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

CREPÚSCULO


                                
Ai dor minha
Gosto de lágrimas
De saudade
Maldita dor crepuscular!
Entardece solitária
Entre buscas perfumadas...
Maldita
Solitária dor
Desejo, lágrima, querer,
Inquietação!

-Angel-

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

RETRATO


Preciso ver algo que não seja solidão
Que num surto, o amor se fez.
Ver que ainda sou carne e osso
A luz da alma que vibra um corpo
Perfeita fisionomia da fisiologia
Pulsar sonhos, embora ilusão!
Sentir o sabor de meus lábios
Fazer um decreto a mim mesma
Descrito nele: "Nunca parar de amar!"
Embora que viaje outros rostos...
Queria não esquecer
Do amor próprio
E numa lógica introspecção
Acompanhar-me de perto
Vigiar-me e bater o coração
Na missão reconhecível
De que aqui estou!

-Angel-

domingo, 9 de setembro de 2012

PENSAR...


Onde me encontro?
Onde desponto...
O tudo e o nada
Andam juntos...
Acalentam o pensamento
De onde o início e o fim
São únicos olhares vazios,
Frios e distantes...
E pergunto apenas:
Onde me encontro?
Procuro o teu olhar...
Talvez dentro deles, me encontro.

-Angel-


REESCREVER



Reescrever em fina escrita
Que a vida é bonita
Que tudo é nuvem que passa,
Que mesmo os pensamentos tempestivos
São exóticos instantes que pintamos
Como um nevoeiro que desaparece.
Sim, reescreva em fina escrita...
Que a vida é cavalgada
Por caminhos escolhidos
Prováveis ou improváveis
Como saber o certo?
Deixemos que a nossa presença
Exale perfumes que permaneçam
Na lembrança na vida de outro alguém.

-Angel-

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

MEU BRASIL...


O meu Brasil é humano...

É soberano em território,
É livre de violência,
Respeita as diferenças.

O meu Brasil é educado...

É muito bem alfabetizado
É estudioso, inteligente,
Gigante pela própria língua.

O meu Brasil é liberto...

Não há corrupção,
Não existe trocas de favores,
Nem silêncios que são comprados.

O meu Brasil é poético...

Onde o verde é mais verde!
A água é pura e farta,
E o ar está longe da poluição.

Ah! Brasil! Quando os seus poderes?

-Angel-

SILÊNCIO


A noite é minha companheira
Nela, encontro o teu olhar
Em que as estrelas são perfeitas
Lapidando o teu silêncio
Meu silêncio em mil palavras...
Reconheço. São nossos sentimentos
Que se tocam
Nesta noite estrela
De tanto e de nós...
Sorrisos, palavras, lágrimas, 
Carinhos, beijos, segredos...
Confesso. Eu simplesmente, confesso!

-Angel-

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

MEDO

                                                                          
 O longe e perto de ti, exalta...
 O longe e perto que te palpito
O querer e sofrer que repito.

-Angel-

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

UM DIA LINDO...


Pensar em perfeição...
Já não é procurar o ter.
É sim olhar em volta,
Observar nas coisas simples
O quanto de interessante
Possa existir: O sorriso 
Sem críticas das crianças;
Os intemperes dos adolescentes;
O andar inseguro dos bêbedos;
O pouco reflexo dos envelhecidos;
O corre e corre para não perder
Aquele táxi, o ônibus;
As marcas imperfeitas
Nos rostos dos preocupados;
O medo, a surpresa, o agito;
A calçada, o descontrole, o grito;
O amor. a saudade, a alegria;
A chuva que atrapalha o dia;
O sol que aquece o juízo;
As folhas que caem;
A ressaca das ondas;
A rotina, o silêncio,
O dia cansado!
E o que se chama perfeição?
Não temos as respostas...
Tudo depende do vértice enigmático
De cada um de nós!

-Angel-

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

MEU TEMPO...




Não há esferas ou lugar
Onde a matéria é nula
Onde só a energia pode dizer:

"Hoje! Agora! O que fui? E o que sou? O que pode importar?
Apenas um sonho para realizar e um caminho  para seguir...
Hoje é um presente especial!"

-Angel-

NOITE DE ROSAS E PÉTALAS I e II



Se eu fosse um anjo, sairia nesta noite de lua crescente,
Por aí, sobrevoando, leve, solta, sem horas, sem tempo,
Esquecida de mim mesma, na sinergia dos deuses do olimpo.


Se eu fosse um pirilampo, sairia noite de meia lua,
Sorridente, alegre, peralta, menina, sem tempo,
Esquecida de mim mesma, tempo que fui criança.


Se eu fosse uma rosa, sairia noite à fora, sem demora,
Envolvente, perfumada, despetalando o corpo sem tempo,
Para verificar a hora do orvalho da madrugada.

Se eu fosse gota de orvalho, sem imaginar muito, desvairada...
Sumiria entre nuvens por aí, flutuando, sem tempo,
Para verificar os doces sonhos da alvorada.

Se eu fosse fada delicada, sorridente, encantada,
Sairia entre flores coloridas de jardim qualquer, sem tempo,
Sobrevoaria sonhos ao longo dessa caminhada.

E se eu fosse você, tentaria perder-se nos acalentos
Imaginários, subconscientes, ora perfumados, ora sem tempo,
No corpo de rosa em doces movimentos e momentos.


-Angel-

domingo, 5 de agosto de 2012

VOAR...


Voar... Quero voar ao céu
Atravessar o Universo!
Ser noite, ser dia
União do sol e lua
Misteriosamente voar
Voltar apenas fada
Pousar em teus sonhos
Inebriar nos teus vinhos
Ser hoje, amanhã e sempre...
Um sonho de Ícaro
Borboletas, fadas, 
Pássaros, pirilampos
Uma pluma suave, magia
Viajar ao sabor dos ventos
Só descobrir ser real...
Nos braços de tua fantasia!

-Angel-

segunda-feira, 30 de julho de 2012

É LINDO!



É lindo! É lindo! Lindo!
Quando trilhamos o caminho do amor
Um misto de alegria
Toma conta total do coração
Os dias são mais ensolarados
As noites são todas estreladas
O verde se sobrepõe as calçadas
A natureza sorrir a cada momento
O corpo é suave movimento
O espelho reflete a imagem
Resultante de sua inspiração
O universo é música
Num dedilhar harmônico
Sintonia de todas as emoções
Vividas nas relações...
Quando o amor
Só o amor é lindo!

-Angel-



sábado, 28 de julho de 2012

SONETO DO MAR- REVERSO



Entre a beleza e a destreza
Nas ondas que cantam e gritam
Surge a sombra, a tristeza...

Entre a tristeza e beleza
Nas ondas que jogam e brilham
Surge barca da certeza...

Do olhar da mais profunda solidão
Sentimento visto pelas mágoas
Que ecoam do coração...
Misturadas pelas lágrimas e águas.

Que o mar e seus segredos de sedução
Deitem ondas e mágoas
De repleta agitação...
Sendo adeus, as águas e lágrimas.

-Angel-

quinta-feira, 19 de julho de 2012

UMA NOITE DE SONHOS




Adormecida, emergi...
Viajei por dias e noites
O percurso lindo
Que é está entre nuvens.
Sentir que nada eu era
Apenas floco de neve
No frio encontro
Do fio subconsciente...
Do eu e dos sonhos.

-Angel-

segunda-feira, 16 de julho de 2012

SONHOS


Sons sonhos sonoros
Ondas órbitas orbitais
Nuvens nobres nubladas
Honras hinos homenagens
Orquestra ondas orbiculares
Semeando sonhos subconscientes.

-Angel-

domingo, 15 de julho de 2012

UM HOMEM




Não sei te revelar


Embolei todos os sentidos


Nos meus enigmas...


Fechei-te feito uma ostra


Entre minhas conchas


Como uma pérola preciosa


Tecida aos poucos...


Encontra-se nos meus olhos


Tua imagem mais perfeita


O sorriso tal qual enigmático.


Não sei o que sou


Dentro de teu abrigo


Nem tão pouco


O que de mim te restou.


A janela de teu olhar


É parede, é vidro,


Algo que a poesia


Entre nós, nos separou.


Então há uma sobra


Aquela que se transforma


Num fio de medo,


O medo do proibido,


Meio entre arvoredos


Onde o vento me soprou...


Meu receio já se torna


O nervoso de teu silêncio


Que entreabre a ostra...


Minha boca entreaberta


Sentindo o líbido e a real


Evidência de teu temor


Em está também a me amar!

-Angel-

OBS. Uma homenagem muito especial para hoje: Dia do Homem. Que sejam todos especiais!