terça-feira, 21 de junho de 2011

DESCAMINHOS


Busco como louca, desesperada
Procuro o que for possível
Onde avivar minha dor
Enrubescer minha pele
Pálidas horas pálidas
Numa ausência imperfeita
Face a face, a solidão.

Busco como louca, desesperada
Procuro o que for possível
Onde aliviar a dor
Silenciar minha ansiedade
Cálidas horas cálidas
Numa penumbra sequer perfeita
Sonho a sonho, adormecer.

Busco como louca, desesperada
Procuro o que for possível
Onde me aquecer ao amor
Abraçar minha audácia
Desejos horas desejos
Numa semelhança minha qualquer
Corpo a corpo, face a face.

-Angel-

Um comentário:

  1. Essa repetição que tu usaste nesses versos ficou muito boa!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo o comentário, que sempre vem acompanhado de carinho!

Bjos...