domingo, 15 de maio de 2011

UM HOMEM



                                                                                    

Não sei te revelar

Embolei todos os sentidos

Nos meus enígmas!

Fechei-te feito uma ostra

Entre minhas conchas

Como uma pérola preciosa

Tecida aos poucos...

Encontra-se nos meus olhos

Tua imagem mais perfeita

O sorriso tal qual enigmático.

Não sei o que sou

Dentro de teu abrigo

Nem tão pouco

O que de mim te restou.

A janela de teu olhar

É parede, é vidro,

Algo que a poesia

Entre nós nos separou!

Então há uma sobra

Aquela que se transforma

Num fio de medo,

O medo do proibido,

Meio entre arvoredos

Onde o vento me soprou...

Meu receio já se torna

O nervoso de teu silêncio

Que entreabre a ostra...

Minha boca entreaberta

Sentindo o líbido e a real

Evidência de teu temor

Em está também a me amar!


-Angel-

4 comentários:

  1. Olá,
    Amei a poesia, romântica e sensual.
    Obrigada pela visita.
    Uma semana muito feliz,com muita inspiração.
    Beijo na alma.
    Saudações Poéticas!

    ResponderExcluir
  2. É um imenso prezer conhecer o seu blog e deixar aqui o meu comentário, pois sei o quanto é gratificante receber um. Já recebi milhares deles e cada um que recebo sempre me deixa feliz. Ofereço a minha página e meu msn para ajudar com seu blog. estou a quatro anos neste universo blogueiro e adoraria que vc tbm entra se nesse mundinho. MEU BLOG www.dado.pag.zip.net MSN dado.pag@hotmail.com . Um abraço Dado

    ResponderExcluir
  3. Um dos teus melhores poemas, parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo o comentário, que sempre vem acompanhado de carinho!

Bjos...